Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2017

O Futuro

Imagem
Vou já começar por dizer que não faço ideia de como será o futuro deste projecto. Como já disse noutro post, não gosto de me limitar, e quem me segue há algum tempo já o viu pela diversidade de conteúdo que apresento: a música que produzo vai desde o Jazz à Electrónica, já expus desenhos, uma banda desenhada e até um jogo para PC que fiz há bastantes anos atrás. É tudo produzido, gravado, misturado e masterizado por mim. Faço toda a "artwork". Gosto de escrever em verso e em prosa, sobre ficção ou até apenas sobre a minha vida. Ultimamente até tenho experimentado a fotografia. É a liberdade de expressão, sem limites. Por isso mesmo não há planos. Convido-vos a voltar a este site uma e outra vez, não para ouvir os meus últimos sons ou as minhas ultimas rimas, mas para seguir as minhas ultimas experiências, sejam elas sonoras ou visuais ou o que quer que sejam. De uma forma mais ou menos constante, vou juntando pedaços do meu mundo e criando algo, aos poucos e poucos, de uma …

A Origem Resumida - Toda A Verdade Parte 2

Imagem
Não me lembro da primeira vez que ouvi rap. Em miúdo cantava o refrão do “Não Sabes Nadar”, dos Black Company, mas sem fazer ideia o que era ou o que representava. No 5º ano ouvi pela primeira vez Eminem, na aula da música, e, sinceramente, não causou grande impacto. “É fixe, tens que ouvir o resto do CD com atenção!”, garantiu-me o meu amigo, e não foi preciso mais para me convencer. O meu pai lá me arranjou o álbum, o “Marshall Mathers LP”, que gravei para uma cassete (sim, porque ainda andava com o walkman de um lado para o outro) e fiquei viciado. Ouvia e voltava a ouvir, o dia todo, todos os dias. O flow, o jogo de palavras, a atitude… Não demorou muito tempo a conhecer pessoal que partilhava o mesmo vicio e me deu a conhecer outros artistas e outros estilos: americanos, franceses, tugas. Aos 13 anos escrevi a minha primeira letra. Não me lembro sobre que era ou como era, apenas que a apaguei 5 minutos depois de a escrever. Achei ridícula a ideia de tentar fazer algo assim, algo qu…