Semtextos Sem Sentido

Para os mais sensíveis, aviso desde já que o que se segue contem linguagem gráfica e forte, continuem por vossa conta e risco.
"S.S.S. (Shit Sem Sentido)" é um som gravado no Algarve, no verão de 2007, com o tema...bom, acho que se percebe pelo titulo.
São quase 3 minutos em meio de rimas nonsense (sem sentido) e nonstop (sem parar), sem procura de grande profundidade ou significado.
Ironicamente, quando gravei este som estava bastante em baixo, reflexo das complicações amorosas da juventude...
Este som (também) está inserido na mixtape "Banda Sonora", agora disponivel para download como parte da compilação "Resumo", na pagina da "Música".



Letra:


Se eu fosse o reflexo do sexo vocês viam-me como uma orgia
Fudendo wacks sem pressa de ver chegar um novo dia
A minha filosofia é fazer Shit Sem Sentido
E é isso que vos trago, o fado que faço, currompido
"Péro" pro ouvido, sem ousar usar preservativo
Directamente da mente de S.T. tcc (também conhecido como) Diskonhecido
Don Killuminati renascido, já se tinham esquecido de mim?
Boy, eu fodo-vos tão depressa que até já me vim
Sou simplesmente demente, com vertentes de psicopata
Inteligente sempre, atrás dos dillons que rondam a praça
Deixo-te tonto tipo barata e se não papas ficas com fome
Com mais pescoço que girafas nem passas pelo microfone
Andas com stone de mirone, não reages ao cenário
Um clone do Stallone, músculo sem vocabulário
Somes como "camones" fogem do nosso dicionário
É uma língua complexa, boy, por isso deixa de ser otário
O meu flow é mais apertado do que virgens
As vossas criticas não me atingem
Fingem tar em torres de marfins, mas não abrem o olho com vertigens
Não liguem, eu já nem sei o que digo
Caso não tenham reparado isto é Shit Sem Sentido
Por isso põe-te em sentido, no teu devido lugar
Eu levanto o dedo do meio e com o paleio ainda me consigo safar
O chico-esperto, desperto ódio sem tentar
Subo ao pódio pro flash queimar o ultimo neurónio que deixei por queimar
Nem a brincar, boy, mas a sério, tás a sentir?
Não queres água para ajudar? Sei que as verdades custam a engolir
Porque o que usam para vos iludir, já tinha há muito desvendado
Não vos posso mandar mensagem se não dão conta do recado
Não me interessa a embalagem, imagem é coisa do passado
Tenho substancia, boy, e é algo que não pode ser importado
Comprado, vendido, só sentido pelos puros
Que põem putos armados em duros a por a vida no seguro
Liga para a prosegur, parece que precisas de ajuda
Eu não preciso de Editoras para me explorarem tipo gruta
Ou me foderem tipo puta, à censura digo "fóckio"
Versos abusados deixam mais agarrados que o ópio
Vai buscar o telescópio, olha-me de alto a baixo
Sou um gigante fumegante movido a hax
Saltas do tacho pro lume, levas com o fumo na cara
Não deixavas kuarras molhadas nem que usasses uma bisnaga
Vamos subir a parada, a ver quem é que me para
Com mais trukes que o MacGyver e o sozinho em casa
Do que vocês dizem, não há nada que me ofenda
Sem aviso, são mais vendidos que noivas por encomenda
Oferecidos como decotes, mini skirts, meias de renda
Eu vou continuar a largar esta shit até que cada um de vocês aprenda
E entenda que isto não pode ser decorado
Meu flow é fogo, não admira que estejas todo queimado
Quando fores encontrado com o ouvido estourado
Garganta cortada sem marca de eu ter lá estado
Com a faca ensanguentada pousada ao teu lado
Não me venhas dizer que não estavas preparado
Sei que é errado, mas as minhas relações duram tanto quanto erecções
Com divisões de liga, intrigas e seduções, então rapariga, segue as instruções
Não sou o Son Goku, não esperes transformações
Esquece os corações e cede às tentações
Posições diversas entre merdas e discussões
Sem limitações, porque disso não papo, não tou pra fantochadas
Podes chamar-me barbeiro que eu faço-te a barba à chapada

Mensagens populares deste blogue

RESET - Toda a Verdade

Molha-te

Sir Scratch - Eternamente (st-bandasonora remix)